De: Ana / Para: Pedro

18:44



Sempre me senti um pouco sozinha, talvez muito sozinha. Na escola, eu não me encaixava em grupo algum, tinha meus amigos e eles eram muito engraçados, mas nunca me senti parte de alguma coisa, como se eu tivesse nascido para estar ali, então eu te conheci e consegui enxergar que eu me encaixo na bagunça.
Nós não nascemos um para o outro, eu soube disso no momento em que te vi parado do outro lado da sala me encarando e quase babando, você nunca foi bom com disfarces. A verdade, Pedro, é que nós nascemos para nos abandonar.
Ouvi de alguns amigos que você está agindo como se eu estivesse morta, que inventou até uma história de como me suicidei e você me encontrou morta no quarto. Pedro, por favor, isso é ridículo, entendo que não te dei nenhum tipo de explicação e que só fui embora sem mais nem menos, não lhe deixei nem mesmo um bilhete, porém você sabe o motivo pelo qual fui embora, talvez você não queira acreditar, mas sabe. De qualquer forma, eu te devo explicações e é por isso que estou escrevendo isso.
As coisas mudaram, nosso “relacionamento” seguiu um caminho totalmente diferente do que eu esperava, e eu não estava pronta. Ainda te amo com todas as forças que existem dentro de mim, mas eu gostava tanto do começo, daquela bagunça sem jeito. Sempre gostei do que não devia gostar, sempre preferi fazer a coisa errada porque me dava um prazer inigualável, então tenho que ser sincera com você: era bom te beijar porque eu não podia fazer isso.
Sou o tipo de mulher que não dura uma noite e eu nunca me importei com isso, eu vou em algumas festas, faço homens se sentirem completos e depois vou embora, esse é o meu papel na vida de caras ferrados como você, que não sabem que estão ferrados. O problema, Pedro, é que com você foi diferente, te passei meu telefone mesmo sabendo que não era uma boa ideia, passei uma semana pensando em você sabendo que você tinha outra pessoa, mas eu não podia controlar, eu gostava do errado e era bom porque era errado. Então tudo começou a ficar sério demais, não tinha mais a sensação de aventura do começo, as coisas ficaram meio infelizes, calmas demais e eu senti falta do errado que existia no começo.
Isso não significa que eu deixei de te amar ou que não sinto sua falta, só preciso de um tempo para voltar a ser eu, talvez tentar machucar menos as pessoas. Essa carta está muito confusa, mas eu só quero deixar claro que ainda tem um pouco de você em mim e que é triste saber que você está tentando matar o que há de mim em você.
Aliás, não esquece: se for bom, sempre volta.
A.
P.S: Eu soube que você voltou para ela assim que terminei de escrever essa carta, então peço desculpar por tudo isso logo agora, mas estou feliz por você, muito feliz, desde o começo eu sempre quis a sua felicidade e saber que você está feliz agora me satisfaz demais.

You Might Also Like

0 comentários