De trago em trago digo adeus

18:37



             Passos apressados. Risadas abafadas. A hora passa rápido, já são 2h da manhã. Vinho barato na garganta. Cigarro aceso. Agora é a hora em que tudo acontece. Todos me olham, mas ninguém me vê. De trago em trago digo adeus. O vermelho do meu batom se apaga de boca em boca . Agora é a hora que afogamos nossos problemas em bebidas baratas. Afogamos nossos corações partidos em sexo fácil. Mulheres quase nuas a luz da lua esperando o amor da sua vida desta noite. 
           Aqui tudo passa rápido. Aqui ninguém se importa com o frio, com a dor, ou quem você é. Aqui nada importa, nada além da próxima boca que irá beijar ou a próxima bebida que irá experimentar. Senta ai, fuma isso aqui e esqueça de tudo, garota. Você é tão linda, o que faz sozinha aqui? Vem comigo e vamos nos perder um pouco. 
           Te vejo em todos os lugares. Não consigo te alcançar, você está fugindo de mim. Minha cabeça dói. As vezes consigo sentir o gosto dos teus lábios nos meus, mas é só o vinho fazendo efeito. Hoje você é o Gabriel, semana passada você era o Pedro, semana que vem eu não sei. Não me culpe, a culpa é sua, você que deixou esse vazio em mim.
           Não sei mais quem sou, partes minhas ficaram com você, não sobrou nada de mim aqui. Estou perdida. Correndo em círculos. A loucura me persegue. Sinto como se eu estivesse afogando, eu grito por socorro, mas ninguém pode me ouvir, então deixo a onda me levar, deixo a escuridão me preencher, deixo tudo para trás, isso se tornou parte de mim agora.

You Might Also Like

0 comentários